Sri Caitanya Caritamrta

por Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

seis gosvamis

p.289

No madhya-lila descreve-se a estratégia adotada por Sanatana Gosvami para lidar com o serviço governamental. Ele apresentou ao governador muçulmano um atestado médico de doença, mas na verdade estudava o Srimad-Bhagavatam com alguns brahmanas em sua casa. Ao ficar sabendo disso através de um médico real o governador foi visitá-lo para descobrir suas intenções. O governador lhe pediu para que lhe acompanhasse numa expedição para Orissa e Sanatana lhe negou isso e acabou sendo preso pelo governador. Ao deixar o lar, Rupa Gosvami deixou um dinheiro para Sanatana e ele usou o dinheiro para subornar o carcereiro e sair da prisão. Partiu então para Benares a fim de se encontrar com Caitanya Mahaprabhu, trazendo consigo apenas um servo cujo nome era Isana. No caminho eles pararam num hotel e o dono do hotel descobriu que Isana tinha algumas moedas de ouro e planejou matar os dois e Sanatana Gosvami deu o dinheiro e pediu para ajudá-lo a transpor a floresta. Ali ele encontrou seu cunhado Srikantha e lhe deu um cobertor valioso.

Sanatana Gosvami chegou a Varanasi e encontrou com Mahaprabhu na casa de Candrasekhara. Mahaprabhu o mandou barbaear-se e mudar para roupas de um babají, de um mendicante. Vestiu roupas velhas de Tapana Misra. Mahaprabhu o instruiu a respeito do serviço devocional, o aconselhou a escrever livros sobre o mesmo, incluindo um livro de orientações quanto as atividades vaisnavas e escavar os locais perdidos de peregrinação em Vrindavana. mahaprabhu

Sanatana Gosvami chegou a Vrindavana e chegando em Mathura encontrou Subuddhi Raya. Regressou a Jaganatha Puri através de Jharikhanda. Em Jaganatha Puri decidiu abandonar o seu corpo jogando-se debaixo de uma roda do ratha de Jagannatha, porém Mahaprabhu o salvou. Encontrou Haridasa Thakura e ficou sabendo do desaparecimento de Anupama. Sanatana observou a etiqueta do templo de Jaganatha ao ir pela areia visitar o Senhor Caitanya, embora estivesse extremamente quente devido o sol. Pediu permissão a Jaganatha Pandita para voltar a Vrindavana. Mahaprabhu elogiou o caráter de Sanatana Gosvami o abraçou e aceitou seu corpo como espiritual. Mahaprabhu mandou Sanatana Gosvami viver em Jaganatha Puri por um ano. Ao regressar a Vrindavana após muitos anos, ele encontrou com Rupa Gosvami e ali permaneceram para cumprir as ordens de Mahaprabhu.

O local onde Rupa Gosvami e Sanatana Gosvami viveram tornou-se lugar de peregrinação. Geralmente é conhecida como Vrindavana escondida e fica a cerca de dez quilômetros ao sul de Imrejabajara. Ali ainda existem a deidade de Sri Madana-Mohana,a árvore de Keli-kadambha onde Senhor Caitanya se encontrava com Sanatana Gosvami a noite e Rupasagara, uma lagoa escavada por Sri Rupa Gosvami.

Verso 85

Entre esses galhos Rupa e Sanatana eram os princiṕais. Anupama, Jiva Gosvami e outros, liderados por Rajendra, foram seus galhos secundários”.

Significado: O Gaura-ganoddesa-dipika diz que Srila Jiva gosvami foi outrora a gopi Vilasa Manjari desde a mais tenra infância, Srila Jiva Gosvami gostava muito do Srimad Bhagavatam. Mais tarde ele veio estudar sânscrito em Navadvipa e seguindo os passos de Senhor Caitanya circum-ambulava toda a Navadpi-dhama. Após visitar Navadpi-dhama foi estudar sânscrito com Madhusudhana Vacaspati e após terminar seus estudos foi pra Vrindavana refugiar-se com seus tios. Essas descrições estão no Bhakti-ratnakara. Jiva Gosvami escreveu vinte e cinco livros. (1) Hari-namamrta-vyakarana, (2) Sutra malika (3) Dhatu-sangraha (4) Krishnarca-dipika (5) Gopala Viruda Vali (6) Rasamrta-sesa (7) Sri Madhava-mahotsava (8) Sri Sankalpa-kalpavriksa (9)Bhavartha-sucaka-campu (10) Gopala-tapani-tika (11) Um comentário sobre Brahma-samhita (12) Um comentário sobre o Bhakti-rasamrta-sindhu (13) Comentário sobre Usjjala-nilamani (14) Um comentário sobre o Yogasarastava (15) Um comentário sobre o mantra Gayatri conforme é descrito no Agni-purana (16) uma descrição oriunda do Padma-purana dos pés de lótus do Senhor (17) uma descrição dos pés de lótus de Srimati Radharani (18) Gopala Campu (em duas partes) (19-25) Sete sandharvas: Krama, Tattva, Bhagavat, Paramatma, Krishna, Bhakti e Priti -Sandarbhas.

GLOSSÁRIO

Tyagui: renunciante, alguém que abndonou a vida de desfrute sensual.

Tvam-padharta: verdade absoluta.

KALYANA KALPATARU, uchachasa (1,4)

Enquanto chorando eu irei relatar a ele a miserável condição da minha vida e implorarei que ele garanta-me o descanso do fogo da existência material.”

FRASE DO DIA Om visnupad Srila Bhakti Pramode Puri Gosvami Maharaj

Puri gosvami

Nós não conseguimos escutar a superalma, por isso Mahaprabhu disse que devemos limpar nossos corações através dos Santos Nomes.”

SESSÃO ACHARYA Srila Bhakti Aloka Paramadwaiti Swami

O siksa guru tem que ser meu vaisnava adorado, o discípulo é o protetor do mestre espiritual. Ao guru os discípulos servem com uma total vigilância.”

RECORDAR

Explique como o bhakti é superior a Karma e jnana.

Nenhum outro processo pode conceder o resultado prometido sem estar relacionado com Bhakti. Bhakti entretanto é tão forte e independente que pode conceder todos os resultados por si mesmo.

SRIMAD BHAGAVATÃM ( 1,13,45-48)

Maharaj Yudhisthira começou a observar alguns presságios inauspiciosos. Por quê?

Porque Arjuna foi até Dwarka para saber de Senhor Krishna e seus amigos e também para saber do Senhor e suas atividades e não retornou.

COMPORTAMENTO

Prabhupada detestava preguiça, capricho ou falta de compromisso. Sendo intolerante pela falta de cuidado ou tentativas desleixadas no serviço, ele incessantemente empurrava seus discípulos para rendição a Krishna a cada momento, por mantê-los ocupados no serviço e desta maneira desocupados no desfrute material. Ele também comentava sobre os mathameds, uma brincadeira sobre a palavra Grihamed (grihasta invejoso). Indicando assim alguém que vive em um monastério, mas mantém a mentalidade de um chefe de família. Ele disse que o orador genuíno de Hari Katha seria severamente maltratado ṕelos materialistas e ás vezes mesmo por semideuses.

Comments are closed.